Relação Família-Escola: Educação dividida ou partilhada?

Enviado em: 26 Jan 2014

Autora: Marta Assis Loureiro

A família tem um papel essencial e único na vida de qualquer ser humano e a escola uma importância ímpar na instrução de qualquer indivíduo. Tanto a família como a escola têm sofrido intensas transformações, pelo que a problemática da relação família-escola continua a ser alvo de estudos, em que todos parecem reconhecer o importante papel desta relação na educação, no desenvolvimento e sucesso escolar dos alunos embora, ainda, com diferentes perspectivas entre si. Factores diversos de ordem socioeconómica e demográfica, em Portugal e no mundo, nos têm levado a assistir a profundas mudanças nas famílias e na educação, que conduziram a grandes alterações em ambas e que têm contribuído para que escola vá assumindo novas responsabilidades, entre as quais a de “suplência” da família. Esta interacção pode ir do alheamento profundo à participação mais activa de cada uma das partes. Mas ambas têm duas características em comum: a dinâmica no agir e a sua decisiva influência nas crianças e adolescentes. O grande desafio que têm que enfrentar é o da cooperação entre ambas, enquanto “dupla de partilhas e de aprendizagens”, merecedora de uma contínua reflexão para compreendermos que alguns factores contribuem para que, por vezes, esta cooperação falhe. Há que continuar a estudar e a propor alternativas de intervenções conjuntas entre família-escola, perante as actuais questões da sociedade e das nossas crianças e adolescentes.